LUMUS 2017 – O Anatomista de Dragões

capafinal_OAnatomistadeDragões

Sinopse:
Imagine um mundo onde os dragões eram animais comuns, porém toda a lenda e mistérios estão envoltos sobre eles. Este é o mundo onde o biólogo Jhonatan Rose dedica sua vida a compreender e a respeitar esses seres, e chega à conclusão de quem são os verdadeiros monstros.

No Skoob

Sobre:
Como seria o nosso mundo se os dragões realmente existissem? Os trataríamos como seres fantásticos ou como animais de força bruta? Como faríamos uso de suas inúmeras habilidades? Usaríamos cada uma delas para o bem ou para o mal? O quanto temeríamos e o quanto exploraríamos essas criaturas em nosso benefício?
Essa abordagem não convencional dos dragões com certeza é o que mais se destaca na história criada por Alexandre. Apesar de ser uma ficção, há muito de realidade, fatos históricos e mecânica na narração. Passamos pela mitologia, pelas tradições, pelas superstições e enfim chegamos ao científico dessas criaturas. Entre o contexto de um mundo que enfrenta guerras – e as evoluções tecnológicas causadas por elas –, os dragões são explorados como armas e escravizados dentro de sua natureza ainda não compreendida. Apesar de todos os fatos “reais” que nos são apresentados no livro, a magia está ali, envolta na vida de Jhonatan Rose, aquele que o destino levou a se dedicar e a salvar os dragões da própria humanidade. Acompanhamos sua vida desde a infância pacífica nos campos da Inglaterra, e assistimos aos momentos decisivos e os passos que ele escolheu dar a partir deles – e que acabaram por trazê-lo para o Brasil.
Alexandre conseguiu equilibrar perfeitamente nessa história a fantasia com o que poderia ser fato, revelando-nos um novo panorama do nosso próprio mundo nas primeiras décadas do século XX. E, o que é mais importante, nos fazendo acreditar nela. Ainda, o paralelo e o contraste não ficam apenas no quesito sobrenatural vs. realidade: temos a cultura, as tradições, as crenças de todo um povo que há centenas de anos se dedicou a essas criaturas fantásticas. Todas as maldades que o ser humano consegue fazer estão ali – desde crianças desconsiderando outras por seu status social até a insensatez de vidas perdidas em batalhas. Mas, ao mesmo tempo, não podemos deixar de pensar em como seria incrível existir dragões no mundo. E, convenhamos, não seria fantástico poder torcer por nossos campeões em um Dragão de Vapor?
Sou mais da fantasia relacionada à magia do que a do steampunk, mas como recusar ler um livro que fala sobre dragões? Foi com o conhecimento apenas de que O anatomista de dragões era um livro que relacionava esses dois elementos que o Alexandre me entregou o original para uma leitura crítica.
Eu não sabia o que esperar dele, e no fim me surpreendi! Em nossa convivência na Academia de Letras de Foz e no gosto em comum por literatura fantástica, já tínhamos conversado bastante sobre o assunto escrever fantasia, buscar um conteúdo que não fosse mais o mesmo. Também já fazia um tempo que ele me mostrava as ilustrações e explicava algumas coisas sobre como seriam os dragões caso fossem animais de verdade. Mas eram apenas partes soltas. Foi preciso estar dentro do contexto da vida de Jhonatan Rose para que toda a magia da leitura acontecesse. Porque o que faz a fantasia de verdade não são os elementos fantásticos, mas como o humano lida com tudo isso. Alexandre soube conduzir seus personagens com maestria: não ficamos fascinados pelos dragões, mas sim pela cultura de um povo que se dedica a eles, com as guerras nas quais lanceiros são heróis, pelo como essas criaturas estão tão emaranhadas com fatos históricos reais e mitologias antigas.
E o extra: dragões nas Cataratas do Iguaçu! Como, onde e quando um livro falaria de dragões nas Cataratas?! Há tanta reclamação no mundo da fantasia brasileira sobre não incluirmos elementos folclóricos locais, mas… Por que não dragões voando por entre as quedas em busca de comida e agarrando-se nos rochedos para descansarem? Ficou incrível! Enquanto Jhonatan se fascina com essa maravilha da natureza – que para nós de Foz é habitual como se fosse o nosso quintal de casa –, nos fascinamos com a possibilidade de aquele cenário abrigar essas criaturas fantásticas. Desde já, esperando pelo filme, só para poder compartilhar com o mundo o visual e a poesia disso.
Dentre todo o dito aqui, só me resta agradecer ao Alexandre por essa nova visão que agora eu tenho dos dragões.
E você, caro(a) leitor(a) que se aventurou a ler este prefácio, acha que dragões são feitos de pura imaginação? Então se prepare para acompanhar as descobertas do anatomista e mudar completamente a sua forma de pensar!

Lhaisa Andria.

Onde Comprar

Ebook

Impresso (em breve)

Sobre o autor:

15184sk1449407067gAlexandre Kalfeld

Formado em analise e desenvolvimento de sistemas, começou a escrever quando trabalhou para a antiga fundação cultural da cidade de Medianeira no PR, ali começou a esboçar os primeiros textos de esquetes teatrais e em 2015 lançou o primeiro seu primeiro livro, O Anatomista de Dragões, uma obra de Fantasia Steampunk.

Anúncios